Home / Transporte e atualidade / Transporte / 2021 despede-se com mais ofertas de cargas do que antes da pandemia

2021 despede-se com mais ofertas de cargas do que antes da pandemia

A recuperação do transporte rodoviário de mercadorias é um facto. Uma declaração suportada por dados do indicador de transporte de 2021 realizado pela Wtransnet, a principal bolsa de cargas da Península Ibérica, que mostra uma evolução notável no volume de ofertas de cargas, muito superior ao do ano passado e inclusive superior ao registado em 2019, antes do surto da pandemia do coronavírus.

Como resultado, mais de 6,5 milhões de ofertas de cargas foram reservados no ano que acaba de terminar, mais dois milhões do que em 2020 e mais um milhão do que em 2019, graças a um crescimento interanual de 43%. Estes números mostram uma média de quase 18 000 ofertas por dia e alguns marcos que podem ser descritos como históricos, tais como as mais de 720 000 ofertas de cargas registadas no mês de novembro.

O transporte internacional cresce apesar do “Brexit”

O auge no setor é largamente reforçado pelos excelentes números relativos às ofertas de cargas internacionais. A começar pelas relativas às exportações, que aumentaram 40% em relação a 2020, totalizando 1,4 milhões. Neste caso, a França, o nosso principal mercado com 63% do total, registou um aumento de 44%. Este aumento ocorreu na maioria dos países que recebem mercadorias da Península Ibérica, destacando-se a Alemanha, a Itália, a Bélgica e os Países Baixos.

As ofertas de cargas para a importação também seguiram esta tendência ascendente com mais 40% do que no ano anterior, como resultado da referida recuperação e também condicionada pelo aumento da liquidez associado à incorporação das ofertas da Teleroute, parte do Grupo Alpega juntamente com a Wtransnet, chave na procura de retornos do continente para os transportadores espanhóis e portugueses.

Vale a pena notar o efeito que o “Brexit”, em vigor desde janeiro de 2021, tem tido no fluxo de mercadorias. As ofertas de cargas com o Reino Unido caíram -30% no caso das exportações e -31% nas importações, representando uma percentagem cada vez menor das expedições ibéricas, que no entanto estão a ser substituídas por mercados fortes como o polaco, o austríaco ou o checo.

O mercado nacional ultrapassa os 3,5 milhões de ofertas de cargas

Finalmente, é essencial concentrarmo-nos no transporte doméstico, que representa o maior volume na bolsa de cargas da Wtransnet e que reúne todas as ofertas com origem e destino na Península Ibérica.

Um segmento que continua a registar números anteriores à crise, com um aumento da atividade de 45%. Os mais de 3,5 milhões de ofertas de cargas, mais um milhão do que em 2020, são um excelente indicador da boa saúde do mercado interno, que continua a estabelecer números recorde, ainda melhores do que em 2019.

Um novo ano começa, portanto, com a desvantagem de ultrapassar os números registados em 2021 e que será marcado, mais uma vez, pelos desafios que afetam o setor do transporte rodoviário de mercadorias, tais como os atrasos nos pagamentos ou os quilómetros sem cargas. Desafios nos quais a Wtransnet continua a trabalhar para conseguir que se transformem em algo do passado.

Consulte o relatório completo aqui.

Check Also

Verão de 2022: dicas para os condutores de camiões

A temporada de verão já começou e as estradas de toda a Europa ficam cada ...

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *