Home / Transporte e atualidade / Transporte / Os desafios enfrentados pelo transporte europeu face ao Brexit

Os desafios enfrentados pelo transporte europeu face ao Brexit

O Brexit trouxe uma série de mudanças no panorama europeu, sendo o transporte uma questão crucial mas delicada. As empresas de transporte planeiam reduzir a sua actividade com o Reino Unido devido a uma falta de informação. Em 24 de Dezembro, a União Europeia e o Reino Unido chegaram a um acordo em conformidade com o Acordo de Comércio e Cooperação que definirá as relações entre as duas partes quando a Grã-Bretanha deixar de fazer parte da UE.

Como o Brexit e a pandemia estão a ter impacto nos novos reglamentos

Com o acordo de Comércio e Cooperação entre ambas as partes, as empresas de transporte rodoviário de mercadorias podem continuar a operar sempre que realizem serviços ponto a ponto. Por outras palavras, os camiões britânicos podem chegar à UE e regressar da UE, mesmo quando não estão carregados, e vice-versa, sem que por isso se estabeleçam quotas adicionais.

Além disso, é autorizada a cabotagem dos camiões de ambas as partes, até um máximo de duas operações em território estrangeiro, uma vez cruzada a fronteira e garantido o direito de trânsito pelos territórios de cada uma para chegar a países terceiros ou a outras partes do seu próprio território. Também é facilitada uma “ponte terrestre”, a qual permite ligações logísticas entre a Irlanda e o resto da UE através do Reino Unido.

No entanto, e apesar deste acordo, o estabelecimento destas novas fronteiras está a gerar alguns problemas e dúvidas. A situação de pandemia que vivemos também não ajuda, visto que muitos países estabeleceram controlos de segurança adicionais, exigindo aos transportadores testes negativos à Covid-19, o que deu origem a situações de colapso como a que se verificou no Canal da Mancha no início deste ano.

Inquérito do Grupo Alpega sobre as tendências de transporte e logística em 2021

Trata-se de uma realidade que, no Grupo Alpega, temos vindo a analisar através de um macro inquérito realizado a empresas de transporte de toda a Europa. Nele, entre outros aspetos relacionados com as tendências de logística e de transporte para 2021, questionamos o impacto que o Brexit terá sobre o setor.

Os resultados da sondagem refletem um clima de incerteza. Numa escala de um a dez, o nível de otimismo das empresas de transporte quanto ao futuro das relações comerciais entre a União Europeia e o Reino Unido é de cinco. Uma classificação que se revela ainda mais pertinente se tivermos em conta que 40% dos inquiridos consideram que o Brexit “afetou bastante” os seus negócios.

Não é de surpreender que aproximadamente 50% dos profissionais do transporte acreditem que a sua atividade com o Reino Unido será afetada nos próximos meses e que, como tal, irá diminuir. Entre os principais motivos para esse desfecho estão a falta de informação, para 40% dos inquiridos, e a sensação de que esta nova realidade implica demasiada papelada e burocracia, para 86% dos mesmos.

Todos estes procedimentos implicam, em alguns casos, horas ou até dias de espera para serem finalizados. Por vezes, os transportadores são até forçados a voltar para trás sem terem concluído o seu trabalho. Impostos, certificados de origem, declarações… Em muitos casos, os agentes aduaneiros e os gestores especializados são confrontados com uma quantidade assoberbante de pedidos.

 Seja como for, a situação ajustar-se-á gradualmente com a sua progressiva normalização, permitindo que sejam encarados de forma natural todos estes mecanismos decorrentes da saída do Reino Unido do mercado comum.

Check Also

As ofertas de cargas disparam na bolsa de cargas da Wtransnet durante o primeiro trimestre de 2021

Segundo a atividade registada na bolsa de cargas da Wtransnet, o setor do transporte rodoviário ...

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *