Home / Transporte e atualidade / Transporte / As ofertas de cargas crescem no primeiro trimestre de 2022

As ofertas de cargas crescem no primeiro trimestre de 2022

As ofertas de cargas atingem valores sem precedentes no transporte rodoviário de mercadorias. Nesta frase, podemos resumir o indicador de transporte realizado pela Wtransnet, a bolsa de cargas líder na Península Ibérica, que corresponde ao primeiro trimestre de 2022. Durantes os meses de janeiro, fevereiro e março, verificámos um volume de ofertas de cargas muito superior ao registado no mesmo período do ano passado e com números raramente vistos. Tudo isto apesar do contexto atual de conflito na Ucrânia ou de greve dos transportadores em Espanha.

De facto, neste primeiro trimestre ultrapassamos facilmente as 1,8 milhões de ofertas de cargas com origem e/ou destino na Península Ibérica, aproximadamente mais seiscentas mil do que no mesmo período de 2021. Estes números são também superiores aos registados em 2020, quando se verificou um pouco mais de 1,1 milhões de ofertas de cargas. Assim, isto significa mais 45% de ofertas de cargas do que no período de janeiro a março de 2021, representando uma média de quase 20 000 ofertas diárias. 

Consolidação dos transportes internacionais e números recorde no transporte nacional 

As ofertas de cargas com origem na Península Ibérica e destino no resto da Europa registaram um crescimento notável relativamente ao mesmo trimestre de 2021, nomeadamente, de 46%. Os aumentos mais significativos verificaram-se na Alemanha (mais de 83%), Itália (mais de 90%) e nos Países Baixos (mais de 137%), onde as ofertas de cargas estão efetivamente em alta velocidade, tornando-se destinos cada vez mais recorrentes para os transportadores espanhóis e portugueses. Por último, e embora pareça um aumento muito mais modesto, devemos salientar que as ofertas de cargas com destino ao Reino Unido aumentaram 3%. É a primeira vez que se regista um crescimento neste país desde o “Brexit” e da sua saída efetiva do mercado comum europeu em janeiro de 2021. 

Este cenário repete-se no caso das ofertas de cargas para importação, em que esta mudança da tendência nas Ilhas Britânicas se refletiu de forma mais notável, com um aumento do fluxo de mercadorias de 24%. Não é por acaso que foi na importação que se verificou, de forma geral, o aumento mais significativo em relação a 2021, nomeadamente, de 51%. Este facto comprova o aumento da liquidez que a incorporação das ofertas da Teleroute significou para a plataforma Wtransnet, soluções para o “regresso a casa” dos transportadores espanhóis e portugueses que regressam do resto do continente. 

No que diz respeito ao transporte doméstico, este representa o maior volume na bolsa de cargas e camiões da Wtransnet e que recolhe todas as ofertas de carga com origem e destino na Península Ibérica, e no início de 2022 atingiu praticamente um milhão de ofertas de cargas. Deste modo, o mercado nacional continua a ultrapassar os números anteriores à pandemia, com um aumento de atividade de 42% em relação ao mesmo período em 2021. 

Portanto, o ano de 2022 começa com registos que nos deixam otimistas face ao decorrer do resto do ano, considerando que tanto o segundo como o último trimestre são geralmente períodos de maior crescimento do que o atual. Se esta previsão se cumprir, poderia resultar em números sem precedentes. 

Consulte o relatório completo aqui

Check Also

5 tendências futuras nos transportes

Até à data, em 2022, registámos que o setor do transporte rodoviário de mercadorias sofreu ...

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *